22 de out de 2017

Premium e seus surpreendentes neo zelandeses



No Brasil quando falamos de vinhos da Nova Zelândia temos uma certeza: O padrão de qualidade de seus produtos é sempre muito alto, mas por outro lado o preço não é o que o grande público consumidor está disposto a pagar. A consequência se torna muito previsível com o volume de vendas não sendo grande e seu público cativo ser formado basicamente por conhecedores que dão valor sua alta qualidade, ou de consumidores mais abastados e abertos a novas experiências. A Nova Zelândia entrou na história elaborando vinhos com a francesa Sauvignon Blanc  que se destacaram por serem muito minerais e por terem fruta com um ligeiro dulçor que imediatamente entrou no gosto dos consumidores do mundo inteiro especialmente nos EUA, mas na ocasião  seu baixo custo também foi fundamental com vinhos sendo vendidos na faixa de até USD 10 o ajudou ainda mais na divulgação desta nova região produtora. Com o passar do tempo alguns destes vinhos permaneceram mantendo seu bom custo benefício, mas a maioria incrementaram ainda mais sua qualidade e logicamente seus preços também cresceram . Particularmente os Sauvignon Blanc neozelandeses sempre me agradaram mesmo com seu marcado dulçor de fruta que os caracterizava, hoje provando as novas gerações me encanta sua mineralidade pronunciada sem aquelas notas doces, o que os tornam vinhos não tão fáceis para o público em geral, mas uma referência para os apreciadores deste estilo. Mas a coisa não parou por ai pois foram lançados maravilhosos Pinot Noir que em minha modesta opinião se rivalizam com bons  Borgonhas, e mais recentemente alguns Syrah que certamente farão história. Nesta semana que passou tive o privilegio de ser convidado para um evento organizado pela Premium (pioneira desta origem e detentora do maior número de rótulos neozelandeses no Brasil) que teve o objetivo de anunciar algumas mudanças no portfólio devido a chegada de novas safras e produtores. A apresentação ficou a cargo do competente Jorge Lucki que recentemente fez uma ampla viagem pela Nova Zelândia e dividiu conosco suas experiências.
Algumas informações que achei interessante reproduzir para vocês: O País exporta 86% dos vinhos que produz, sendo seus principais importadores USA 29%, Reino Unido 24% , Austrália 22%, China 7% .
A Nova Zelândia possui 37 mil hectares plantados com vinhedos dos quais 22 m só de Savignon Blanc. As brancas representam 78% da área plantada.

Vinhos provados

Na prova guiada por Jorge Lucki:

- Hunter’s Kaho Roa Sauv Blanc 2016 - R$ 216 (Novo)

- Ata Rangi Sauv Blanc 2016 - R$ 227 ( Novo)

- Trinity Hill Homage Syrah 2014 - R$ 1.023


- Ostler Carolines Pinot Noir 2015 - R$ 284

- Burn Cottage Pinot Noir 2015 - R$ 682  

- Rippon Mature Vine Pinot Noir 2013 - R$ 546

Um painel de altíssima que mostrou o grande potencial dos vinhos neo zelandeses,  mas devo admitir que meu coração ficou com os dois últimos, especialmente  do Burn Cottage, sensacional

Outros vinhos provados:


- Burn Cottage Moonliht Pinot Noir 2015 – R$ 500
- Rippon Mature Vine Riesling 2015 – R$ 306
- Rippon Mature Vine Gewustraminer 2015 – R$ 306
- Osler Blue House Pinot Noir 2015 – R$ 284
- Pegasus Bay Riesling 2012 – R$ 343
- Espumante Hunter’sMiru Miru Reserve 2010 - R$ 256
- Ata Rangi Pinot Noir 2015 – R$ 682
- Clearview Sauv Blanc Reserve 2014 – R$ 300
- Clearview Chardonnay Reserve 2014 – R$ 511
- Fallen Angel Sauv Blanc 2016 – R$ 284
- Fallen Angel Riesling 2016 – R$ 2016 – R$ 250

Por aqui devo destacar o surpreendente espumante Hunter’s, o Ata Rangi Pinot Noir, o Clearview Chardonnay, e o Fallen Angel Sauv Blanc.
 Parabéns a Premium pela magnífica seleção de produtores e por continuar apostado suas fichas nesta pouco divulgada origem.


Premium: Site - www.premiumwines.com.br – Fone (011) 2574 8303

19 de out de 2017

Vinci comemora 10 anos de vida


Comemorar 10 anos de um negócio no Brasil deve ser considerado um sucesso, ainda mais quando o tema é vinho. A Vinci uma das importadoras do pioneiro Ciro Lilla está comemorando seu feito e para tanto organizou um dia inteiro de provas de parte de seu amplo portfólio. Prestigiei o evento e entre os diversos vinhos provados separei aqueles que mais me marcaram. Vamos a eles:


Champagne Cuvée de Reserva Grand Cru Brut  - Blanc de blanc 100% Chardonnay de R$  438- Um champagne surpreendente com  mousse generosa, perlage intensa e delicada . Olfativamente marcada pelas leveduras, nozes, e frutas amarelas maduras. Na boca, potente, fresca, e vibrante com final de boca  confirmando as leveduras. 92




Sancerre Comte Lafond Blanc 2013 - Varietal 100%  Sauvignon Blanc  de R$ 270 -Um jardim de flores brancas , mineral, pedra molhada e lança perfume. Na boca, acidez cortante, seco, meio de boca generoso, final marcado por frutas brancas azedas, floral, e toque mineral 90

Bairrada Frei João Classico Branco 2015. - Um corte de  Cercial e Bical  de R$ 241- Nariz extremamente cítrico, com  leve oxidativo, e ponta mineral. Alta acidez, corpo médio, bem fresco e salino com final de boca lembrando limonada sem  açúcar.  89

Elisas Dream  Open Barrel Tannat 2011 . Varietal 100% Tannat do Uruguai de R$  309  Rubi concentrado, sem halo. Frutas negras azedas, pimenta e floral. Boa acidez taninos presentes,  mas bem resolvidos, corpo amplo, retrogosto frutado e alcaçuz  88


Imperial Gran Reserva 2009 - Um corte de Tempranillo, Graciano de R$ 683. - Uma preciosidade que vai precisar de mais 10 anos de garrafa para quem quiser toma -lo no seu auge . Vinoso, framboesa tostado, sem halo, potente,boa acidez, ainda alcoólico e bem frutado e com taninos a serem arredondados 89




Quinta do Poço do Lobo  Reserva 2011  Um Bairrada, corte de Baga, Cabernet Sauvignon, e Touriga Nacional  de R$230 – Rubi, extra tinto, frutas negras maduras, e violetas. Na boca ainda tânico, rústico, duro, mas com muito potencial de guarda também gostaria de toma-lo com mais uns 8 anos de garrafa .90 

I Soldi di San Niccoló 2010  Um supertoscano com Sangiovese  e Malvasia Nera de R$ 598 . Um vinho exuberante marcado pelas violetas, frutas negras maduras,  sottobosco, e leve funghi . Ótima acidez, taninos presentes, corpo médio, final de boca extremamente gastronômico. Este vinho me surpreendeu mesmo sabedor que este produtor é garantia de alta qualidade.92



Chateauneuf du Pape Clos de Oratoire 2012 Corte de Grenache e Syrah de R$ 456 - Frutas negras azedas, tostado, e grafite. Ótima acidez, taninos finos, picante, vivo, final  de boca deliciosamente frutado 91 

Dolcetto D’Alba Bera 2013 de R$ 96 - Vinho com aromas balsâmicos, frutas vermelhas azedas,e herbáceo.  Ótima acidez, taninos presentes, corpo médio, final de boca fresco e gastronômico,  vale quanto custa 88

Dão Porta dos Cavaleiros 2012 - Corte de Touriga Nacional, Tinta Roriz, e Afroxeiro  de R$  72 - Violetas, leve tosta. Ótima acidez, ainda tânico, corpo médio, final gastronômico. Este é certamente uma boa dica de vinho de bom custo benefício 87

Flying Solo Gayda 2015 – Corte de Grenache e Syrah – R$ 90 - Frutas azedas, floral,  toque mineral. Acidez intensa, taninos delicados, final de boca fácil. Para apreciadores de vinhos naturebas mais leves e fáceis de beber.





Fontodi Chianti Classico2010  - Varietal 100% Sangiovese R$ 287  - Rubi indo para granada. Violetas, frutas vermehas maduras, sottobosco leve menta. Na boca ótima acidez,  corpo médio, taninos finos presentes, retrogosto votando às frutas vermelhas maduras, ao terroso e toque de funghi . Fresco, estruturado, um vinhaço 91




Minevois  Hecht & Bannier  2014 – R$  102 - Rubi extra tinto sem halo. Fruta azeda, tostado, alcaçuz. Na boca, boa acidez taninos firmes, intenso, direto, final de boca agradavelmente frutado 88 

Morgadio da Calçada Tinto 2014  Corte de Tinta Amarela, Tinta Barroca e Souzão. – R$ 188 – Violáceo, média concentração, sem halo. Vinoso,frutas negras confeitadas , grafite e mineral. Leve ,fresco, taninos ainda presentes, parece natureba . Uma novidade que agradou demais  88 

Parabéns Vinci, vida longa !


Vinci – Site: www.vinci.com.br – Fone (011) 31304500

17 de out de 2017

Catad'Or Wine Award no Brasil




O Catad’Or Wine Awards de Pablo Ugarte que já completou 22 anos de estrada é hoje  considerado um dos mais importantes concursos de vinho do mundo. Nascido no Chile e contando com o aval da OIV-Organização Internacional da Vinha e do Vinho e da UIOE-União Internacional de Enólogos, continua crescendo ano a ano e em sua edição de 2017 contou com a presença de diversos produtores dos seguintes países: Argentina, Brasil, Bolívia, Canadá, Chile, Estados Unidos, México, Peru, e Uruguay. A edição de 2017 contou com mais de 900 vinhos inscritos onde 215 deles foram premiados, sendo 16 medalhas Grande Ouro, 118 Ouro, 80 Prata e 8 troféus especiais . O Brasil participou com 28 exemplares dos quais 7 receberam medalhas de Ouro. No último 3 de Outubro Pablo Ugarte esteve no Brasil para divulgar seu evento para a crítica brasileira de vinhos proporcionando aos participantes uma interessante degustação de alguns dos vinhos premiados. Tive o prazer de estar presente e poder comentar os meus vinhos favoritos  para vocês.



1 Victoria Geisse Reserva Extra Brut 2015 – Brasil – Espumante vibrante com ótima estrutura, e complexidade olfativa.

2 Gazzaro Branco Brut Tradicional – Brasil .
3 Gazzaro Espumante Moscatel – Brasil – Ótimo moscatel comprovando o alto padrão deste produto no Brasil, fresco e com dulçor na medida certa.
4 Lapostole Cuvée Alexandre Chardonnay 2013 – Chile – Um Chardonnay de peso, encorpado, co muita fruta amarela madura e toque tostado.
5 Paya de Millaman Malbec 2015 – Chile – Um Malbec elegante marcado pelo frescor, aromas frutados e especiaria doce no final de boca.
6 Canciller Reserva Malbec 2015 – Argentina.
7 Estancia Mendoza Roble Malbec 2012 – Argentina
8 Carmine Granata Malbec 2012 – Argentina
9 Nicolas Granata Malbec 2007 – Argetina  - Vinho maduro com ótima acidez e grande complexidade olfativa, foi destaque
10 Kimche Syrah Reserva 2016 – Chile – Vinho intenso mas muito macio e bem balanceado.
11Lapostole Cuvée Alexandre Syrah 2013 – Chile – Vinho de guarda austero marcado pelo aroma de frutas negras e grafite, se tivesse um pouco menos de madeira seria perfeito.

12 San José de Apalta Carmenere Bue Lable 2015 – Chile.
13 La Rosa Carmenere 2013 – Chile
14 Korta Barrel Selection Reserve Petit Verdot 2016 – Um vinho muito interessante, frutas negras frescas, menta , grafite , ótimo balanço de boca com taninos muito finos.
15 HSUR 6040 Reserve  2016 – Chile – Frutas negras e alcaçuz em um vinho elegante e muito fácil de gostar.
16HSUR 8515 Reserve 2015 – Chile
17 Gran Reserva Korta 2015 – Chile – Pitanga, cereja no licor ótima acidez , taninos finos ainda presentes .
18 Don Reca Cuvée 2014 – Chile – Floral e frutas negras em vinho mais estruturado e gastronômico.
19 El Principal 2014 – Chile – Mais uma safra comprovando a sempre ata qualidade deste rótulo. Vivo,austero adoraria toma-lo daqui pelo menos 5 anos.
20 La Piu Belle 2011 – Chile – Vinho jovem com muito potencial que também precisa mais tempo de guarda em garrafa.
21 Ossa Sixth Generation 2009 – Chile – Meu vinho favorito entre os apresentados, grande complexidade olfativa, acidez marcada, taninos finos ainda presentes corpo médio e final de boca com mineralidade frutas negras e alcaçuz, delicioso.

22 Ernesto Perfecto 2015 – Chile – O nome diz tudo um vinho de sobremesa perfeito, maravilhoso, com dulçor na medida certa, vibrante com ótimo balanço de boca.

23 Glaciares Del Alto 2016 – Chile – Outro vinho de sobremesa que agradou demais, as cegas podia ser facilmente confundido com um Sauternes.

Parabéns a Pablo Ugarte e sua equipe, certamente a partir deste ano escutaremos muito mais a respeito da Catad’Or no Brasil. Para a edição de 2018 Pablo promete fazer edição especial para pequenos produtores que ainda não rotulam seus vinhos, isto promete grandes surpresas e o surgimento de novos vinicultores !!!

11 de out de 2017

Uma atitude a ser seguida


Solidariedade existe, e é isto que a Importadora Cantu junto com as sommeliers Cassia Campos, Daniela Bravin e Eliana Araújo estão nos mostrando com seus dois eventos vínicos que buscam arrecadar recursos para o movimento Outubro Rosa, responsável pela orientação às mulheres sobre a necessidade de prevenção contra o câncer de mama.
Eliana Araújo por Marina Brito ( fotografa)

Um dos eventos se trata de uma degustação de vinhos  comandado  por Eliana Araújo  que acontecerá na Livraria Cultura  do Shopping Iguatemi  no dia  23 de Outubro das 20h às 22h com o tema: o vinho sob a ótica do cinema e que terá vinhos da  Ventisquero  do Chile e da  Susana Balbo da Argentina e com  valor estipulado em R$ 250.  Além de participar do evento cada participante levará para casa duas garrafas de vinho, uma de cada produtor acima citado, e mais aperitivos cedidos pela  Bratatouille. 
Daniela Bravin e Casssia Campos por  Marina Brito ( fotografa) 

O segundo evento terá a frente Cassia e Daniela com seu já conhecido ‘Sommelier Itinerante”  que ocorrerá  no dia 21 de outubro das  12h às 17h onde as profissionais promoverão a venda de vinhos em taça, e em garrafa a preços promocionais, na calçada do  Quem Quer Pão 75 localizado na Rua Dona Elisa, 117, Barra Funda . Nesta ação além das vinícolas, da Importadora Catu, também entram como apoiadores a Livraria Cultura do Shopping Iguatemi e o FoodPass e a Bratatouille . Notem que as sommeliers  não cobrarão cachê pelo seu trabalho colaborando desta forma para o a divulgação do Outubro Rosa.

Participem 
Cantu – Site: www.cantuimportadora.com.br  - Fone (011) 2144 4450

10 de out de 2017

INOVINI realiza seu Road Show 2017


A Inovini realizou no último dia 4 de Outubro a versão paulistana de  seu  Road Show 2017. A ideia principal do evento foi o de apresentar aos jornalistas, representantes de lojas especializadas, sommeliers,  compradores de restaurantes, e formadores de opinião seus novos lançamentos assim como novas safras de linhas já tradicionais da importadora. Como sempre nestas ocasiões é sempre difícil provar todos os vinhos mas entre os que eu degustei deixarei minhas dicas dos que mais me agradaram:

Sibarus Gran Reserva Chardonnay 2015 – R$ 95 – Vinho com ótima mineralidade e frescor da região de Leyda.

Undurraga TH Chardonnay 2014 – R$ 170  Delicioso chardonnay de Limari marcado pela salinidade e frescor desta região semi árida com grande influência marítima.

Undurraga TH Carignan 2014 – R$ 170 Talvés o meu vinho favorito entre os favoritos, muita fruta negra com toque de grafite , um vinho direto, austero e prazeroso







Stamp Shiraz e Cabernet  Sauvignon 2016 – R$ 60 -Vinho de entrada de linha mas com ótimo balanço de boca e boa relação custo benefício.

Brolio Chianti Clasico 2014 – R$ 204 – Sempre entre meus favoritos, Um vinho marcado por aromas de violetas , e extremamente gastronômico

Terras de Monforte   2015  -R$ 75 Um corte de Antão Vaz Arinto e Verdello   marcado por aromas  herbáceos lembrando arruda, cítricos. Vibrante, acido, seco com final de boca cítrico

Herdade Perdigão 2014 – R$ 200 – Um clássico português, corte de Trincadeira, Cabernet Sauvignon, e Aragonês.   Balsâmico, floral e toques terciários, com tripé acidez, taninos e álcool em perfeita harmonia.


Inovini – Site: WWW.inovini.com.br  fone 0800 7711600